Mostrando postagens do mês de: setembro 2010
Total de Postagens: 7

Brasil ultrapassa barreira das 10 milhões de conexões de banda larga

brasil-banda-larga

Brasil tem um aumento de 48% em um ano, em conexão de banda larga

O Brasil registrou 10,04 milhões de conexões de banda larga no 1º semestre de 2008, crescimento de 48% em um ano, revelou o 10º Barômetro Cisco de Banda Larga nesta quarta-feira (20/08), realizado pela consultoria IDC.

No período, o total de assinantes de serviços de banda larga móvel foi de 1,3 milhão de assinantes, crescimento de 464% em relação a 233 mil assinantes do primeiro semestre de 2007. O número não inclui aparelhos 3G, somente pacotes de acesso em PCs.

De acordo com estudo da Accenture, o Brasil tem 950 mil conexões à internet via redes 3G.

A previsão do Barômetro é de que o Brasil atinja 15 milhões de conexões em banda larga até 2010. “Quando começamos a realizar o estudo [em 2006] a meta de 10 milhões [de conexões em banda larga até 2010] parecia inalcançável”, comentou Pedro Ripper, presidente da Cisco Brasil. Em sua avaliação, o mercado de conexões via redes móveis deve deslanchar no segundo semestre deste ano, acrescentando mais 1 milhão de conexões em banda larga até o final de 2008.

No País, a cada 100 habitantes, 4,6% têm banda larga. Na América Latina, o Brasil está abaixo do Chile, com 8,8% acessando a web em alta velocidade e da Argentina, que possui 6,6% de cada 100 pessoas com este tipo de acesso, segundo os dados mais recentes de densidade, referentes a dezembro de 2007. Neste período, a América Latina registrou 17 milhões de conexões rápidas.

Com relação ao acesso residencial, 13% dos lares brasileiros estão conectados em banda larga, segundo o estudo. Considerando conexões móveis, na estimativa de Ripper, a penetração sobe para mais de 16% das residências.

Fonte: PC World

Publicado dia 4 de setembro de 2010 as 11:12

Brasil é 4º mercado de PCs no mundo

Demanda por laptops ajudou o Brasil a saltar da 7ª para a 4ª posição do ranking mundial de PCs

INFO – Demanda por laptops ajudou o Brasil a saltar da 7ª para a 4ª posição do ranking mundial de PCs. O ranking foi apurado pela empresa internacional de pesquisa IDC, no segundo trimestre de 2007.

O volume de vendas de computadores cresceu cerca de 20% no segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano passado, para 2,1 milhões de unidades, somando desktops e notebooks. Entre 2004 e 2006, o Brasil ocupada a oitava colocação do ranking de venda de computadores.

Mas apesar do crescimento verificado este ano, a IDC não aposta que o mercado brasileiro alcance novas posições diante da força dos desenvolvidos Japão, China e Estados Unidos.

Para este ano, a estimativa da companhia de pesquisa é de vendas de 9 milhões de computadores no Brasil, volume 25% acima do registrado em 2006.

As vendas de notebooks do país no segundo trimestre superaram as expectativas da empresa de pesquisa, com 300.481 unidades comercializadas a preços que se mantiveram estáveis em relação aos primeiros três meses do ano, que registrou vendas de 227,6 mil computadores portáteis.

Já o movimento de computadores de mesa foi de 1,864 milhão de unidades, 8% maior que as vendas do primeiro trimestre do ano.

Em levantamento divulgado no início de junho, o Centro de Tecnologia da Informação Aplicada da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo identificou aumento na inclusão digital e informatização no país e afirmou que o Brasil possui cerca de 40 milhões de computadores em uso, avanço sobre 36,4 milhões de máquinas de 2006.

Fonte: INFO

Publicado dia 4 de setembro de 2010 as 11:00

Venda online em 2007 faturou R$6,3 bilhões

vendas-brasil-fatura

Um dos motivos a favor da web é o aumento do total de internautas brasileiros

Ao final de 2007, 9,5 milhões de consumidores já haviam feito pelo menos uma compra pela internet, 35,7% a mais do que em 2006, segundo levantamento da consultoria e-bit. Nesse comparativo, a movimentação do comércio eletrônico cresceu 43%, chegando a R$ 6,3 bilhões. Já o varejo convencional teve expansão de 11,8% na receita nominal. As compras on-line, segundo estimativas do setor, já respondem por cerca de 3% das vendas totais do comércio.

Um dos motivos a favor da web é o aumento na quantidade de pessoas navegando na rede. Segundo o Ibope/NetRatings, em 2000 eram cerca de 9,8 milhões. Agora já são 39 milhões, o que representa 24% dos internautas brasileiros.

De acordo com Pedro Guasti, diretor-geral da e-bit, nos Estados Unidos esse patamar ultrapassa os 70%. Além do mercado mais maduro, o consultor Marcos Gouvêa de Souza lembra que os consumidores norte-americanos aprenderam a comprar sem tocar os produtos devido às vendas por catálogo, modalidade com poucos adeptos no Brasil, onde o “aprendizado” vem sendo feito via web.

Para Guasti, quem está mais perto de começar a comprar pela rede são os usuários de internet banking, pois além de terem acesso a um computador, estão em uma faixa de renda pelo menos razoável já que têm conta em banco, maior probabilidade de terem cartão de crédito e por já terem vencido o medo inicial da segurança dos dados colocados na web.

Gerson Rolim, diretor executivo da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico, destaca ainda que o crescimento nas classes A e B será orgânico, ou seja, deve apenas acompanhar o aumento da população nessa faixa de renda, já que a maior parte dela já aderiu às compras on-line. Os consumidores que vão manter o nicho em alta são os da classe C e D, que estão descobrindo esse canal.

As mulheres também estão ampliando a participação e passaram de 43% dos compradores em 2006 para 46% no ano passado. Com isso, ressalta Rolim, muda o perfil de consumo, com ampliação nas vendas de vestuário, calçados e itens de saúde e beleza. O levantamento da e-bit não considera as vendas de veículos, passagens e pacotes de turismo e leilões.

Para este semestre, a previsão é manter o ritmo de crescimento em 45%, com R$ 3,8 bilhões em vendas e 10,5 milhões de consumidores até junho.

Fonte: Agência Estado

Publicado dia 4 de setembro de 2010 as 11:00

Google cresce no mercado brasileiro

Google registrou crescimento no total das buscas

O Google registrou crescimento no total das buscas que originam acessos a sites e portais monitorados pela Predicta, informa análise da consultoria. Segundo a pesquisa, na categoria notícias e esporte, por exemplo, o Google subiu de 86,9% para 89,9% das buscas, ao passo que o Yahoo! que em maio tinha 5,3%, caiu 1,2%.

Já a Microsoft que tinha 2,4% caiu 0,4%, neste período. Já a soma dos principais buscadores nacionais apresentou queda no período, passando de 5,2% para 3,8% das busca totais.

Os dados foram mensurados a partir da ferramenta de Web Analytics Predicta Atmosphere, que fornece informações sobre o comportamento de navegação, audiência e segmentação de usuários.

“Mensalmente, pelo menos 98% das pessoas que navegam na Internet brasileira têm algum contato com uma das ferramentas da Predicta, o que nos dá massa crítica para extrair essas informações.”, afirma Fred Pacheco, gerente de BI (Business Intelligence) da Predicta.

Fonte: Baguete

Publicado dia 4 de setembro de 2010 as 10:59

Uma em cada cinco pessoas da classe A compra na Internet no Brasil

1 em cada 5 pessoas com renda de R$ 3 mil a R$ 4.499 realizou compras pela Internet

Uma em cada cinco pessoas com renda de R$ 3 mil a R$ 4.499 mensais realizou compras pela Internet nos últimos em 30 dias. Segundo um levantamento realizado pelo Ibope, encomendado pelo MercadoLivre, esse número corresponde a 20,4% das pessoas dessa faixa salarial. Entre os com renda superior a R$ 4,5 mil a relação sobe para 27% (ou 1 em cada 4 pessoas).

Ambas as faixas de renda citadas pelo estudo se caracterizam por serem cidadãos de “classe mundial”, isto é, estão no mundo por meio de viagens, comunicações e, em grande medida, via Internet. O levantamento foi realizado com 16,8 mil pessoas entre 12 a 64 anos que moram nas regiões metropolitanas do Brasil e no interior dos estados do Sul e Sudeste.

Os resultados identificam as tendências de compra do segmento de alto luxo na Web. “A Internet é uma janela para o mundo e abriga todo tipo de usuário, até mesmo o mais exigente”, conta Stelleo Tolda, diretor-presidente do MercadoLivre.com. “A tendência de anunciar itens únicos e exclusivos está muito em voga no meio eletrônico. O segmento de gama alta atende a um consumidor que procura conforto e privacidade, características inerentes ao comércio eletrônico”, completa o executivo.

Fonte: W News

Publicado dia 4 de setembro de 2010 as 10:55

A cada mês, internauta brasileiro gasta um dia inteiro conectado

brasil-navega-um-dia

A média mensal do internauta brasileiro, em março, foi de 23 horas e 51 minutos

A média mensal de navegação do internauta residencial brasileiro, em março, foi de 23 horas e 51 minutos. Isso significa que, durante todo o mês passado, esses usuários que usam a web em suas casas passaram quase um dia inteiro conectados. Segundo o Ibope//NetRatings, esse é o maior tempo médio de navegação já registrado desde setembro de 2000, quando teve início esse tipo de medição no país.

Com essa média, o Brasil se mantém à frente dos outros dez países monitorados. Em segundo lugar nesse ranking está a França (21 horas e 30 minutos), seguida de Estados Unidos (20 horas e 24 minutos), Japão (20 horas e 21minutos) e Alemanha (19 horas e nove minutos). O tempo de navegação residencial do mês passado foi 2 horas e 56 minutos superior àquele registrado em março de 2007.

Outro recorde registrado pelo Ibope//NetRatings em março foi o número de internautas residenciais ativos: 22,7 milhões de pessoas, ou aumento de 40% no período de um ano.

Crescimento

“O ritmo de crescimento da internet brasileira é intenso. A entrada da classe C para o clube dos internautas deve continuar a manter esse mesmo compasso forte de aumento no número de usuários residenciais”, afirmou Alexandre Sanches Magalhães, gerente de análise do Ibope//NetRatings.

Segundo o especialista, a classe C vive essa fase de inclusão digital por conta de um bom momento econômico, computadores com preço em queda e banda larga com valores mais acessíveis. Magalhães afirma também que as famílias de baixa renda acreditam que a internet dará uma vida melhor para seus filhos e, por isso, se empenham em obter o acesso residencial.

Considerando todos os ambientes onde os usuários têm acesso à internet — residência, trabalho, cibercafés e telecentros, por exemplo –, o Ibope//NetRatings estima que o Brasil tenha 40 milhões de internautas. Esses dados são referentes ao último trimestre de 2007 e considera apenas usuários com mais de 16 anos.

Fonte: G1

Publicado dia 4 de setembro de 2010 as 10:45

Novo Blog da Yaslip

A Yaslip inaugura novo blog

A Yaslip tem diversos casos de sucesso nos quais os clientes tem grande satisfação para com a empresa, seu aumento de acessos vindo de um dos trabalhos, o MOI, aumenta os acessos do site e com isso a divulgação de seus produtos e serviços na internet.

Essa semana a Yaslip inaugurou um blog com notícias para divulgar esses casos e sempre procurar excelência em seus trabalhos, acesse o MOI Yaslip confira.

Publicado dia 4 de setembro de 2010 as 10:00